A menina que roubava livros - Markus Zusak

Título: A menina que roubava livros
Original: The book thief
Autor(a): Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Numero de páginas: 478

Aqui está um daqueles livros que considero que tenha um lugar especial na lista dos livros que todo mundo deve ler. É uma estória carregada de beleza e brutalidade, narrada por uma personagem tão incomum como o enredo em si. Lembro que foi o primeiro livro que me fez chorar e há alguns meses atrás, quando estava folheando-o durante uma tarde letárgica, chorei mais uma vez. Mas não se enganem; apesar de ser um livro intenso, sua narrativa é muito curiosa de ser lida, de forma que a única coisa que atrapalharia a velocidade da leitura seria sua falta de interesse pelo caráter histórico que ele aborda.

Essa pequena introdução da estória vai para aqueles que nunca pararam para ler uma resenha ou a sinopse do livro: Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes, de modo que de tão tocada pelos fardos que a pequena carregava, a Própria decidisse contar sua historia. Desde cedo a menina se encontrara sozinha no mundo; após a morte de seu irmão, foi mandada para uma nova casa, na rua Himmel, onde teria outros pais e outra vida. Uma história sobre, entre outras coisas: uma menina, algumas palavras, um acordeonista, uns alemães fanáticos, um lutador judeu e uma porção de roubos. Mais que um romance sobre a Segunda Guerra Mundial, A menina que roubava livros é uma explosão de cores sobre a alma humana.

Foi roubando livros que Liesel começou a encontrar um proposito para sua existência, pois foram eles que fizeram companhia enquanto a Alemanha se tornava palco de guerras. Roubar livros a aproximou de Rudy Steiner, o garoto com cabelos cor de limão que mais tarde se tornaria seu melhor amigo e dono do beijo nunca dado. Foram os livros que a aproximaram de seu pai adotivo, Hans Hubbermann, um pai caloroso que tocava acordeão como ninguém e Max Vanderburg, um lutador que teve a infelicidade de nascer judeu durante aquele período tenebroso e a felicidade de conhecer a pequena alemã que salvara sua vida.

A estrutura do livro condiz perfeitamente com A menina que roubava livros. A narradora – a Morte - segue a linha onipresente, como se fosse um espectador na vida de Liesel e daqueles que fazem parte dela. Escreve pequenas notas, também, sobre a vida em si, sobre suas preferencias por cores e como o ser humano às vezes é uma incógnita, nos privilegiando com uma visão mais pessoal dos fatos, ainda que distante. Não faltam metáforas e comparações com cores e sons, sob a perspectiva singular da Morte, nos permitindo um apreciar uma leitura com caráter quase poético.

Eu jamais seria capaz de transcrever as sensações antagônicas que A menina que roubava livros carrega. É um livro que toca de tantas formas diferentes, que ficamos desnorteados com os sentimentos que nos inunda durante a leitura. A Morte despeja acontecimentos importantes que seriam considerados spoilers, desde o inicio do livro, mas não é algo que importe ou incomode, quando você continua virando as páginas. A essência do livro é tão mais importante do que os fatos; é sobre como acontece e não exatamente o que. 

Como eu disse no final do primeiro parágrafo, algumas pessoas podem caracterizar ele como uma leitura lenta em algumas partes, porque a situação da Guerra da Alemanha – época em que nossa narradora estava presente a todo momento, praticamente - é relatada de forma bem fiel, mas eu sempre me interessei muito pela Alemanha Nazista, então isso não foi exatamente um problema para mim. 

A menina que roubava livros é um dos meus cinco livros favoritos, daqueles que eu salvaria de um incêndio, talvez aquele que eu escolhesse para ler para o resto da vida, aquele ao qual eu não poupo elogios. É um livro com gosto poeirento e adocicado que até hoje sou incapaz de desapegar. 

 Classificação:  
5 de 5. (Ótimo)

26 comentários:

Nine Stecanella disse... [Responder comentário]

Olá Luana!

Faz tanto, mas tanto tempo mesmo que tenho esse livro na minha fila de leitura, que até tenho vergonha de não ter nada que comentar sobre ele porque ainda não li. Mas assim como na sua resenha, a maioria das pessoas que conversei tem essa sensação de livro imperdível.


Beijo!
http://janinestecanella.blogspot.com/

Luara Cardoso disse... [Responder comentário]

Oi Luana.
Primeiro, vamos aos elogios: que resenha linda. Você conseguiu transmitir claramente como o livro é importante para você.
Eu ainda não li esse livro, então eu não posso dizer muita coisa sobre ele. Já li diversas resenhas positivas, o que me faz ficar muito curiosa a respeito desse livro, que parece ser tão incrível.
A Alemanha Nazista também me interessa muito, então com certeza o livro vai me conquistar.
Eu já li 'Eu Sou O Mensageiro' do Markus Suzak e adorei a narrativa dele. Então eu posso esperar coisas boas, não é?

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Ana Ferreira disse... [Responder comentário]

Lu,

É incrível o poder que os nossos livros favoritos têm sobre nós a longo da produção de uma resenha. Isso se refletiu enormemente na sua. Falo de paixão, dessa coletânea de palavras e qualidades que vamos atribuindo à obra e ao autor que tantos nos tocaram e é evidente a importância literária que "A Menina que Roubava Livros" tem em sua vida.

Particularmente falando, gostei muito, muito dele quando tive a oportunidade de ler, no ano passado. A narrativa de Zusak nunca esteve tão plena, tão maestral e metafórica, cheia de recursos estilísticos e, quem diria, realidade. O livro flui de uma forma que o torna facilmente inesquecível na vida de qualquer leitor e, de verdade, quem ainda não teve a oportunidade de lê-lo, com certeza o fará após esta sua ótima resenha :)

Um beijo!
Ana - Na Parede do Quarto

disse... [Responder comentário]

Oi Luana!
Eu li esse livro já há alguns anos, mas até hoje tenho várias partes dele em minha memória, de tão marcante que ele foi para mim. A Menina que roubava livros é o meu livro favorito, até hoje não li nada que o superasse.
Como você, eu sempre me interessei muito pela Alemanha nazista e isso foi o que me chamou à ler o livro. Mas depois de começar, eu até esqueci disso.
É impossível não se envolver com a Liesel e seu jeito inocente de encarar os fatos. Acho que o mais encantador é isso, é como somos levados à ver os fatos com outros olhos.
Eu amei sua resenha, pelo menos para mim, ela fez muito sentido.
Deu até vontade de reler esse livro maravilhoso.
Beijos

Danniele disse... [Responder comentário]

Lua! Eu nem preciso te dizer que este também é um dos meus livros favoritos e Markus Zusak é Markus Zusak, fim de história rsrsrs E acontece isso que tu disse mesmo: tem amigas minhas que acharam o livro lento e pararam de ler ): fiquei triste porque em minha opinião todos deveriam conhecer e gostar dessa obra maravilhosa, mas não é assim né? /triste

Beijos :*

.Bárbara Matos. disse... [Responder comentário]

Li faz tempo, mas guardo a história no meu coração e em minha memória como se tivesse folheado as folhas ontem. Um dos meus livros preferidos com certeza! Fico feliz que tenha gostado também ;)

Beijos,
Livros e Coisas menos Incríveis.

Carolina Mello disse... [Responder comentário]

Hmmm você anda muito metafórica... RISOS.
Esse livro é muito lindo mesmo, acho que foi o que mais me fez chorar.
Me encantei com todos os personagens, até com Rosa e seu jeito arrogante.
Gostei muito da sua resenha, fofinha.

Gabriele Santos disse... [Responder comentário]

Desisti. mesmo sem começar, se fazer uma resenha deste livro após ler a sua. Simplesmente suas palavras foram tão fiéis aos meus sentimentos com relação ao livro que acredito que eu não conseguiria tal fidelidade.
Eu simplesmente amo esse livro e chorei ao seu término e indico para que todos leiam. Também o salvaria de um incêndio e apesar de já ter-lo lido, quero muito um dia tê-lo em minha estante.
Obrigada por esta resenha incrível. Adorei, adorei *-*

Bruno Medeiros disse... [Responder comentário]

Nunca me prestei pra ler esse livro, tenho preconceito com ele, siuahusiahusia, acho que é porque ele aparece no Avon kkk, brincs!

Aione Simões disse... [Responder comentário]

Oi Lu!
Amei a maneira poética que você terminou a resenha, ficou lindo!
Acho que o que mais gostei nesse livro foi a forma quase poética que ele é escrito, me encantei com as metáforas de cores e sabores ao longo dele.
Sem contar que a história é mesmo linda e tocante, e olha que nem gosto dessa ambientação de segunda guerra mundial!
Beijão!

Evellyn disse... [Responder comentário]

Todo mundo elogia mt esse livro! Dizem mesmo que precisa ler na vida!
Confesso que olhando a sinopse nem tenho vontade, mas os comentarios positivos...
E gosto da ideia de um narrador tão interessante qnt esse!
Não gosto mt de ler coisas que se passam na guerra, mas tenho interesse! So não costumo ler por ser sofrido! Mas ainda lerei esse ^^

bjs
Hey Evellyn!

Natalia Dantas disse... [Responder comentário]

Oi Lu.
Verdadeiramente o livro merece destaque na prateleira, esse livro além de ser diferente é muito emocionante, o que mais complicou no livro, foi as palavras em alemão, acho que apenas isso *-*

Beijos :*
Ótima resenha!

Natalia. http://www.musicaselivros.blogspot.com/

Camila Costa disse... [Responder comentário]

Sem dúvidas todos deveria ler esse livro, ele é tão, mas tão especial que sempre que eu tento falar dele eu fico meio que sem palavras, eu não consigo me expressar na hora de dizer o quanto ele mexeu comigo (e me deixou chorando por horas diga-se de passagem kk)

Michelle' disse... [Responder comentário]

Oi Luana!
Eu ainda não li A menina que roubava livros ):
É, eu sei, shame on me! haha
Mas tenho muita vontade, vou tentar ler ainda esse ano.
Simplesmente amei sua resenha!
Todos falam muito bem da narrativa, das personagens e do caráter histórico que o livro tem.
Eu também me interesso bastante pela Alemanha nazista, então provavelmente isso não será um problema pra mim.
Beijinhos
Michelle, Minha Bagunça

Karine Marinho disse... [Responder comentário]

Só tenho uma coisa a dizer sobre esse livro: Maravilhoso! *---* Quero tirar um tempo para relê-lo, mas se depender da fila de leitura kkk'
Beijos,K.
Girl SPoiled

Thaís Varine disse... [Responder comentário]

Esse é um daqueles livros que não tem como não gostar! Minha mãe me deu de presente e até hoje a agradeço por isso. A menina que roubava livros sempre terá um espaço no meu coração e sempre vou ler com muitaaa empolgação! Afinal, foi o primeiro livro que me emocionou de verdade e me arrancou lágrimas ;D

Beijos

PamFardin disse... [Responder comentário]

Primeiro: Que layout fofura é esse? Tô encantada *---*
Bom, tem um bom tempinho que ficam me falando "Já leu a menina que roubava livros?", eu respondo que não, etão os outros falam "Ainda não????? Como assim você ainda não o leu?".... kkkkk'
Acho que vou pegar emprestado, pela sua resenha deu apra ver que vela a pena, deve ser uma história linda mesmo, digno de salvar o livro de um incêndio! :P

Beijos
aritmeticadasletras.blogspot.com

Gabriela Wegner disse... [Responder comentário]

Oi Lu.
Há dois anos eu tentei ler esse livro. Não gostei do começo e, parei,
Agora estou com uma enorme vontade de tentar lê-lo novamente, pois tenho visto tantas resenhas positivas, que elas estão me enchendo de coragem! haha
Adorei a sua resenha e pude sentir, através das suas palavras, a emoção de ler o livro.
Beijos.

Priscilla Duhau disse... [Responder comentário]

Eu simplesmente fico atordoada com as suas resenhas, tamanha é a qualidade delas. Você escreve muito bem!
Assim como você, esse livro também faz parte dos meus 5 favoritos e eu também o salvaria de um incêndio.
É um livro poético, lindo, profundo, real em sua essência. Ainda quero ler esse livro inúmeras vezes durante minha vida, porque simplesmente vale muito a pena.
E o fato da história se passar durante a Alemanha Nazista também foi um fator positivo pra mim, já que também me interesso muito por tudo que remete a essa época.
Parabéns pela resenha mais uma vez, tá linda. *-*

Ah, te indiquei em um Meme que respondi lá no meu blog. Se você tiver interesse em participar, o link é esse:
http://livrificando.blogspot.com/2012/03/meme-das-onze-coisas.html

Se já tiver sido indicada anteriomente, me desculpe. :)

Beijão ♥
Priscilla Duhau
Livrificando

Gabriela Orlandin disse... [Responder comentário]

Também sou fã desse livro. Me fez chorar, passar noites em claro na curiosidade e ansiedade em saber o que a vida traria para Liesel. A narrativa é mesmo muito boa, flui super bem e, assim como você, não tive problemas em ler sobre o período nazista da Alemanha, já que sou uma grande amante de histórias que abordam esse assunto.
Beijão e parabéns pela resenha maravilhosa.

Bárbara Murat disse... [Responder comentário]

Que resenha linda!
Eu acho que achei meio lento em alguns momentos, pelo que você citou mesmo. Fora isso, concordo com todos que comentaram, a estória é linda, doce e pura.

Beijão :)

ka macedo disse... [Responder comentário]

Lu, A Menina que Roubava Livros é definitivamente um dos livros que eu salvaria de um incêdio também, um desses que eu gostaria de ter comigo caso fosse para uma ilha deserta. Sinto que posso aprender tanto com ele, mesmo que o releia mil vezes.
Amo o humor sárcastico da Morte e como ela nos classifica. Markus foi completamente inovador nesse quesito. E as notas dela conseguem ser engraçadas, mas levemente assustadoras em certos momentos, mas sempre honestas.
E esse também foi um livro que me fez chorar, chorar de não querer limpar as lágrimas pára não precisar parar de ler (e por isso meu livro está todo cheio de marcas de água).
E o melhor é que, além de ser totalmente emocional, ele ainda tem esse lado histórico que me agrada tanto (a Segunda Guerra Mundial é o período histórico que mais gosto de aprender, acho que por acreditar que ainda há muito que não sabemos ao certo sobre esta época).
Tenho certeza que A Menina Que Roubava Livros sempre será um dos livros que mais amo e admiro, não importa quantos outros melhores eu leia, ou quanto anos se passem.

Beijoos Lu!

Flávia Pachêco disse... [Responder comentário]

Oláa Lu!

Que resenha lindaaa *-*
Eu realmente sempre vejo o pessoal elogiando esse livro, e eu to louca pra ler ele.
Eu também sempre me interessei pela Alemanha Nazista, era meu tema de história favorito. Adorava quando a professora passava filmes com esse tema!
A história do livro parece ser tão comovente e emocionante. Espero que eu tenha a oportunidade de ler em brevee!!

Beijos,
@flafsbp
{ http://17ezesseteinvernos.blogspot.com/ }

Eduarda Menezes disse... [Responder comentário]

Lu, dessa vez você se superou, sério!
Adoro as suas resenhas, mas nessa você conseguiu captar a essência desse livro maravilhoso de uma maneira tão tocante, que só de ler já me deu vontade de chorar mais uma vez!
Também é um dos meus livros preferidos, e é tão incrível a maneira como o Zusak o escreveu, que certamente ficará marcado na mente de todos aqueles afortunados que tiverem a oportunidade de conhecer essa história tão linda e singular! Concordo demais, que esse é daqueles livros essenciais que todos devem ler! ^^
Adorei demais a sua resenha, uma das melhores que já li!
Beijos!!

Nuvem de Letras (Daisy) disse... [Responder comentário]

Olá Luana, tudo bom?
Primeiramente, amei sua resenha!!
Lembro-me de uma época onde queria muito ler esse livro, mas acabei escolhendo "A hospedeira" e deixei esse para depois. Ainda não li, nem o tenho em casa, mas tenho muita curiosidade. O livro tem a capa linda, a história parece ser bem envolvente e a Alemanha Nazista sempre me interessou, tbem.
Em breve, espero poder lê-lo.
Beijos

nuvemdeletras.blogspot.com

Caline disse... [Responder comentário]

Oi Luana eu tenho um problema sério com esse livro, já tentei me animar a lê-lo mas a maioria das pessoas que eu conheço e que já leram, não gostaram dele e dai fico naquel indecisão.

Algums amaram, outros nem tantoe eu fico dividida sem saber o que fazer.

A verdade é que se a sua resenha fosse a primeira que eu tivesse lido desse livro, concerteza eu decidiria começar a leitura agora se fosse possível. Ficou maravilhosa, tocante, sensível... amei.

Beijos, Caline
Mundo de Papel

Postar um comentário

Os comentários serão retribuidos em seu blog, desde que não sejam de carater apenas de divulgação. Comente o que realmente achou! Obrigada :)