Aprendendo a seduzir - Patricia Cabot

Título: Aprendendo a seduzir
Autor: Patrícia (Meg) Cabot
Editora: Planeta, selo Essência
Páginas: 368
Classificação: 4. (Muito bom)

E então se foi. Mas, antes de sair, fez algo surpreendente. Caroline ainda não havia se recuperado quando todos voltaram ao camarote. Porque o Braden Granville fez - tudo o que fez - foi levantar a mão, como se fosse se despedir, e passar a ponta do dedo indicador pela pele de seu longo pescoço, da garganta até a orelha, de modo tão natural como se ele fosse uma criança passando um bastão por uma grade. Mas não havia nenhuma brincadeira de criança no choque que Caroline sentiu em todo o corpo com o seu toque leve, quase indiferente. E ela achava excitantes os beijos de Hurst! Por quê? Tudo o que Braden havia feito fora tocá-la - só tocá-las -, e ela experimentara uma sensação física completamente diferente de qualquer outra que já sentira.
Eu gostei bastante desse livro. Vai ver tenha algo a ver com minha empatia por romances históricos, mas eu prefiro acreditar que a razão é o quão bem escrito ele é. Sendo franca, eu não sou exatamente fã da Meg Cabot. Quer dizer, eu adoro os livros dela, mas sempre achei eles um pouco pré-adolescente demais. Este livro, em especial (já que Rainha da fofoca também tem umas cenas meio quentes, mas não é tão bom quanto esse), meio que me convenceu que eu estava errada. O livro é bem divertido e me prendeu. A capa não chamou exatamente minha atenção (apesar de ser bem bonita) e nem mesmo o título.  Sinceramente (e me sinto meio estúpida falando isso), tem nome de livro de auto-ajuda. Já a sinopse chamou muito minha atenção. Gosto de sinopses que trazem pequenos trechos do livro, assim nós conhecemos a narração e tudo o mais.

Aprendendo a seduzir conta a história de Caroline Linford e Branden Granville. Caroline procura Branden para que ele lhe dê aulas de como seduzir um homem, mais precisamente, aulas sobre "como fazer amor". O motivo da procura das lições é que Caroline é virgem e seu futuro marido tem se divertido por aí com Outra. Branden é relutante a princípio, mas aceita o trato já que Caroline em troca lhe dará uma informação preciosa sobre essa “Outra”. Por mais óbvio que seja que eles irão se envolver, acontece de uma maneira surpreendente. Os dois são tomados por uma onda de desejo todas as vezes que se encontram no mesmo recinto e logo estão com as mãos uns nos outros. Tem algo meio "Romeu e Julieta" nele, o lance do amor proibido. Não tão presente, mas o leitor nota que eles sofrerão preconceitos devido a Branden Granville ser uma espécie de Novo Rico, enquanto a família de Caroline é mais nobre, mesmo que não muito. Também pelo fato de que os dois estão de casamentos marcados e convites enviados e um divórcio repentino poderia repercutir em um escândalo.

Gostei bastante também do modo dos capítulos intercalados. Um capítulo na visão de Caroline e o outro na visão de Branden, mesmo que ainda em terceira pessoa. Assim a gente entende os dois lados da história, enxerga o que cada um está sentindo. Em suma: o livro é divertido, tem até um pouquinho de ação em um dos capítulos, e ótimo para quem gosta de romances calientes.


Sou obrigada a perguntar, vocês estão abusadas de resenhas de romances historicos? Porque eu gosto, mas não vejo muita gente mostrando entusiásmo pelo tema, o que é super normal, gosto é algo muito relativo. Mas, é isso aí. Leriam? Gostam da Meg? Gosto genuinamente de saber a opnião de vocês, suas lindas. :)

18 comentários:

Jovens Leitoras disse... [Responder comentário]

"tem nome de livro de auto-ajuda" HAUHAUAH, e tem mesmo '-'
Eu nunca li nada da Meg ~ sou um et ~ e morro de vontade. Se fosse pra escolher um, acho que eu ia gostar desse. Adorei sua resenha!

Beijos.

Pabline disse... [Responder comentário]

Oiiiiiiiiiiiii.
Eu simplesmente amo Romances históricos, com certeza um de meus estilos favoritos. Não conhecia esse livro da diva Meg, e já irei anotar o nome. Fiquei extremamente curiosa.
Serio... Gostei mesmo. Parabéns pela resenha, ela me deu uma vontade de largar o computador aqui mesmo e correr para a livraria mais próxima XD

BJ!

Danniele disse... [Responder comentário]

Tem nome de livro de auto-ajuda +1
Eu pensei exatamente isso quando eu vi o titulo KKK Eu, ao contrario de ti, sou fãzona da Meg, acho que ela tem muito talento! E os capítulos de "Insaciável" também são assim, em duas visões.
Parabéns pela resenha, Lua! Esse livro já ta na minha lista faz tempo e você só aumentou minha voontade de lê-lo ♥

Beijos :*

Aione Simões disse... [Responder comentário]

Luana, eu AMO romances históricos!
Apesar de só ter lido A Rosa do Inverno dessa linha de romances da Meg, tenho certeza que será minha favorita!
Eu gosto muito da Meg e da escrita dela, mas os livros são mesmo mais pré-adolescentes!
Agora eu sou fã de romances assim e quero ler todos que ela escreveu/escrever como Patricia!
Adorei sua resenha, novamente, principalmente pela sua sinceridade, me deixou ainda com mais vontade de ler o livro ^^

Beijos!

Thaís Cavalcante disse... [Responder comentário]

'Nome de livro de auto-ajuda' foi a melhor parte! hahahhaha

Ainda não li nada da Meg, estou criando coragem porque para mim ela parece ser a Thalita Rebouças americana, mas este livro, realmente fugiu da ideia que tenho dela, principalmente por ser um assunto bem mais quente e fugiu da pauta normal dela.

Em relação à capitulos intercalados, eu simplesmente amo livros assim, faz com que vejamos diversas cenas numa visão diferente.

Esse livro, eu com certeza leria! Parabéns pela resenha Luana, ficou ótima. Sincera, clara e direta.

Beijos!
http://pronomeinterrogativo.blogspot.com/

Angela Graziela disse... [Responder comentário]

Eu sou apaixonada pelos livros da "Patricia"
Só li e tenho um "A rosa do inverno"
Mas sou louca *-*
Beijos

Bruno M disse... [Responder comentário]

Nunca li nada da Meg Cabot, não há ninguém que não gosta, só não li por ter trezentos na frente, isuahuisa. E eu acho os títulos brasileiros um pouco safados: "Pegando Fogo" "Aprendendo a Seduzir" "Insaciável" quase um porno isso aí!

PamFardin disse... [Responder comentário]

Tenho o e-book desse livro no pc, mas acho que vou demorar um pouco para ler. Gosto de romances históricos, mas só daqueles que me prendem a atenção. Se eu começar e não conseguir ir adiante, nem continuo... rsrs'
Aaah! Posso ser parceira do blog também? Vou colocar seu banner lá no blog, se quiser colocar o meu... *--*

Beijos
aritmeticadasletras.blogspot.com

Gabriela Wegner disse... [Responder comentário]

Eu gosto da Meg Cabot, mais não sou apaixonada por ela, entende? iuahsidh
O nome dele não me chamou muito a atenção e relmente, tem nome de livro de "Auto-Ajuda" mesmo! hahaha
Gostei da sua resenha flor!
Um beijo!

Sara disse... [Responder comentário]

Eu não sou A FÃ da Meg, tem vários livros dela que não me interessam! Mas é claro, que tem aqueles que adoro (Mediadora e Insaciável (minha leitura atual) (que é um máximo)). Este aí tem cara de ser bom, já está na lista.
Não tenho nada contra romances historicos, li poucos na vida e nem eram ya! A época em que a história se passa não importa. O importante é o livro ser interessante.

Thaís Cavalcante disse... [Responder comentário]

Luana! Tentei não coloca spoiler na resenha, porque é muito ruim ler algum SUPER DETALHE da história. O que eu digo sobre o 2º livro é: deixe o livro te levar. Quando comecei a ler resenhas negativas sobre ele, parei de ler as resenhas para que pudesse tirar minhas próprias conclusões e confesso, gostei muito do que li, da participação de todos os personagens que estavam ao redor da Katniss e quando li o livro, me senti no lugar dela, ou seja, em alguns momentos meus olhos lacrimejaram com todas as lembraças que ela tinha e com tudo o que ela estava passando.

Como você imagina a Prim? Eu imagino a menina mais linda do universo, sinto vontade de apertá-la todas as vezes que leio o nome dela.

Quando terminar, me diga o que achou hein? Agora estou lendo A Esperança, li também algumas resenhas falando mal do final que a Suzanne deu para ele, mas estou abstraindo tudo e confiante na escritora, vamos ver o que ela guardou para nós!

Beijocas! (:
http://pronomeinterrogativo.blogspot.com/

Thais Priscilla disse... [Responder comentário]

Dizem que este livro é bem diferente do que a Meg costuma escrever até por isso tem o pseudônimo. Mas ainda assim quero ler. Gosto de livros mais adultos e Meg é Meg né *-*

Beijos,
Thais P.
http://thaypriscilla.blogspot.com

Vanessa disse... [Responder comentário]

Eu gosto de romances históricos... só não leio muitos UAHSUAHSUAHS Esse parece ser tudo de bom, to morrendo de vontade de ler. Boa resenha (:

Beijos, Vanessa.
This Adorable Thing

Geê disse... [Responder comentário]

Não sou muito fã de romances históricos, mas de vez em quando é bom rsrs
Ainda não li nada da Meg, mas quero ler logo ^^
Adorei a resenha
Beijos
Geê - algodisso.blogspot.com

Aline disse... [Responder comentário]

parece bom deu vontade de ler
mas vai ficar pra depois estou
lendo o vendedor de sonhos

bjs

www.batonsepaetes.blogspot.com

Ana Ferreira disse... [Responder comentário]

Luana, também não sou a maior fã da Meg, acho que, assim como você, os livros dela são exageradamente bobos para representar histórias de adolescentes comuns. Nisso eu me lembro de Federico Moccia, da Niki, especialmente, que é uma das adolescentes mais adolescentes de todos os livros que já li. Aquele turbilhão de emoções desvairadas, cheia de coragem, desejosa de coisas novas, sem medos...
Mas isso não vem ao caso hahaha
Creio que, sob o pseudônimo de Patricia Cabot, Meg deve assumir uma postura mais adulta, ainda mais tratando-se de um romance histórico, que normalmente conta com muitas cenas mais picantes.
Achei a história interessante, nada de muito incrível, mas daquelas que nos consome, enche de expectativas e tudo mais...
Também acho que "Aprendendo a Seduzir" é muito livro de auto-ajuda. hahaha Tipo, "100 dicas para não falhar na cama com seu marido" kkkkkkkkkkkkk Não dá muito certo, né.
Mas você despertou positivamente a minha curiosidade, gostei da resenha.

E sobre o seu comentário lá no blog, não garanto que "Julieta Imortal" não vá te agradar. Eu até gostei do livro, mas tive que ser honesta na minha nota e na resenha, alegando que algumas coisas não condizem com a situação e são um tanto quanto bobinhas para o tema. No mais, tem um final muito meigo e inesperado, para quem ainda não o leu, ao menos.

Beijinhos,
Ana - Na Parede do Quarto

Milena disse... [Responder comentário]

EU AMO MEG CABOT LUUUUUUUUUUUUUU! \o/
ounw *-*, morro de vontade de ler esse livro e um dia ainda vou ler, ainda mais que vc deu nota 4!
Me animou mais ainda...
Amo essa capa e amo tudo o que é da MEG! ;)

Beijão ;*
http://divertletras.blogspot.com/

ka macedo disse... [Responder comentário]

Ahhh, eu sou tão apaixonada por romances históricos e livros mais adultos e com cenas, como você disse, mais calientes. São os meus estilos favoritos no momento (tanto que às vezes sinto falta de coisas mais quentes nos livros YA).
Então eu adoro ver resenhas de romances históricos para saber quem gosta e quem não gosta tanto de livros mais adultos.
E, falando neles, esse é um dos meus romances históricos favoritos. Achei até mesmo melhor do que A Rosa Do Inverno. Eu ri taaanto com a Caroline e senti muita vergonha por ela, haha. Tão ingênua! E o Braden todo sexy e fofo e tentando se controlar pra não pular em cima dela.
Eu gostei muito daquelas poucas cenas de ação, deu um diferencial legal para o livro, se comparado aos outros :)
E não achei que tivesse título de auto-ajuda. Eu achei um pouco... vulgar demais, quando o vi pela primeira vez. Eu ficava morrendo de vergonha quando lia o livro em algum lugar público, hahaha (boba, não?).

Beijooos Luana!

Postar um comentário

Os comentários serão retribuidos em seu blog, desde que não sejam de carater apenas de divulgação. Comente o que realmente achou! Obrigada :)